COMUNIDADE BOMBAS / QUILOMBOS DE IPORANGA



É uma das Comunidades Quilombolas mais esquecida do Vale do Ribeira, desde o acesso, pois fica localizada entre uma distância de mais ou menos 6 km desde a Rodovia Antonio H. da Silva, uma trilha de difícil acesso que quase atravessa a Mata Atlântica de Iporanga, são divididas em 2 comunidades Bombas de Baixo e Bombas de Cima que é mais longe ainda, fica a 10 km da Rodovia, também uma trilha de difícil acesso. A comunidade nos ultimos anos vem diminuindo de uma forma muito rápida, muitos jovens acabam deixando o local por falta de alternativa de emprego e estudos. Vivem hoje nas comunidades mais ou menos 15 familias. Existe uma escola na comunidade e o ensino é até a 4°série e a partir daí quem se interessar em continuar os estudos é preciso se deslocar até a cidade de Iporanga, Segundo comentários o posto de saúde da comunidade está desativado e só recebem visitas do Agente de Saúde.
O plantio dos alimentos é de subsistência. São cultivados arroz, milho, feijão, mandioca, batata doce, cara, taiá, inhame, amendoim, chuchu e existem frutas como laranja, banana, mexerica,abacaxi, ameixa,limão, café, etc..É uma produção muito pequena,pois a venda do mesmo é muito difícil pela distância da cidade e também por falta de incêntivo. A cidade de Iporanga ainda localiza muitas Comunidades de Quilombos, algumas reconhecidas outras não, devido a história do município, onde praticamente a grande maioria da população é descendente de escravos, Segundo a história a comunidade começou a ser formada a partir do séc.XIX, para ser um refúgio de escravos. Em 2003 a situação começou a mudar para as comunidades,pois o ITESP( Instituto de Terras do Estado de São Paulo) deu o primeiro passo para o reconhecimento realizando algumas atividades,como incêntivo a agricultura.







Comentários