REUNIÃO CONTRA O DECRETO 659/11

PROPRIETÁRIOS DE TERRAS A SEREM DESAPROPRIADAS PELO PREFEITO REUNEM-SE NA PRAÇA LUIZ NESTLEHNER E TRAÇAM PLANOS DE AÇÕES CONTRA O DECRETO 659/11. 

           Cerca 60 pessoas ( rotativas ) reuniram-se, nesta terça- feira, 31 de janeiro de 2012, das 9h30m as 11h00m, na Praça Luiz Nestlehner, Iporanga -SP, com o objetivo de articular ações contra o “Decreto 659/11, que”Declara de utilidade pública, para fins de desapropriação, as áreas que especifica e dá outras providências” para criação de 3 parques.
        
          Os proprietários se diziam traídos pelo prefeito que assinou um decreto que muda totalmente os sonhos e as expectativas das pessoas sem ter nenhuma preocupação de uma consulta prévia aos mesmos.
             A reunião serviu para alguns esclarecimentos, trocas de informações e planejamento de ações contra o referido decreto, onde ficou acordado que no dia 06 de fevereiro do corrente ano, as 8 horas “da manhã”, haverá concentração na Praça Luiz Nestlehner, onde o prefeito, vereadores entre outros  serão convidados a darem esclarecimento ao público presente sobre o fato.
                Um ABAIXO ASSINADO, já está circulando pelo município, coletando assinatura daqueles que não concorda com a prática utilizada pelo atual prefeito, que não consultou o povo e nem mesmo os que fazem parte do rol dos que terão suas terras desapropriadas.
                Os atingidos pelo decreto, bem como aqueles que não concordam com a “prática de governar por decreto” cobram uma posição do presidente da Câmara Senhor Sergio Rodrigues Bastos e demais vereadores e lamentam o fato de que o mesmo ainda não ter convocado uma reunião extraordinária para ouvir o povo e buscar uma solução junto ao Poder Executivo. Porém, há aqueles que acreditam que o mesmo o fará imediatamente e não lavará suas mãos como Pilatos o fez no episódio da “Paixão de Cristo”. 
                Um fato bastante curioso e surpreendente, foi a presença da Secretária do Meio Ambiente do Município de Iporanga, a Senhorita Janaina, que se apresentou com um discurso contrário ao referido Decreto, “mesmo sabendo que isso lhe custaria o emprego”, pois, ao imaginar que isso poderia ter  acontecido com o seu próprio pai, como poderia ser conivente com o ocorrido?
                A Advogada Diana (sobrinha do Vice - prefeito), também se solidarizou com a causa e ficou responsável por protocolar os ofícios.  Saliento que a mesma foi quem forneceu corajosamente, a cópia do Decreto 657/11, a redação do Iporanga na net, que publicou com exclusividade o referido documento, antecipando-se até mesmo ao site da prefeitura, onde obrigatoriamente deveria ser publicado, como fazem os responsáveis por gestão pública que zela pela  transparência.
                A empresa “VALLF” de Curitiba, apontada como responsável pela consultoria do projeto, também deverá ser convidada a dar esclarecimentos a população.
                Há rumores de que o prefeito de Apiaí - SP, que teria seguido o mesmo caminho do prefeito de Iporanga, já se arrependeu e revogou (anulou) o Decreto assinado por ele em consideração à população.
                Comenta-se que o Prefeito pretende mudar a redação do referido Decreto, substituindo “Declara de utilidade pública, para fins de desapropriação”, por “Declara de utilidade pública, para fins de Estudos”, porém, mesmo assim os atingido não concordam com o Decreto e exigem a revogação do mesmo, alegando que não estamos em nenhum daqueles países do Oriente Médio onde a ditadura prevalece.
Registramos também a presença de um único vereador ( Valmir ), que foi extremamente questionado sobre o fato e alegou não saber de nada, mas que esta disposto a colaborar com a causa.
            Em breve estaremos coletando mais informações.
Obs: Clique nas fotos pra ver em um tamanho maior...
Por Paulo Sergio Furquim ( Fotos e Texto ) - Edição : Nilton F da Silva - 31/01/2012







Por Paulo Sergio Furquim ( Fotos e Texto ) - Edição : Nilton F da Silva - 31/01/2012

Comentários