VIA SACRA NO MORRO DO DESCALVADOS



CATÓLICOS REALIZAM VIA SACRA NO MORRO DO DESCALVADOS EM IPORANGA.

Na bela manhã do dia 30 de março de 2012, as 7h30m, sob o comando do padre Slawomir, partimos rumo ao morro do Descalvado. A missão era realizar uma Via Sacra, uma celebração que relembra a morte e ressurreição de Jesus Cristo. Ao chegarmos ao final da estrada, fomos recebidos pela comunidade local que nos esperava com um belo café da manhã, feito no fogão a lenha. Esperamos os fieis de Praia Grande e o restante de Iporanga chegarem e então partimos a pé para o grande desafio. O  padre iniciou a celebração que fazia parte da Campanha da Fraternidade que este ano, convida a população a pensar sobre o Sistema Único de Saúde, o SUS, que deveria ser um exemplo de bom atendimento aos pacientes, mas que todos sabemos, não o é. A caminhada seguiu em ritmo de procissão, logo chegamos ao pé do morro, e então pudemos observar o tamanho do desafio. As pessoas, principalmente os mais idosos levaram consigo uma bengala para se apoiar, pois a subida é muito íngreme e o solo é cheio de pedras soltas. A cada parada, chamada de “estação”, lembrava-se de uma comunidade do município e um fiel assumia o compromisso de carregar a cruz de Cristo, lia se trechos da Bíblia, rezava e cantava e sempre com o tema saúde, com questionamentos de como anda a saúde no país.
O morro era imenso, desafiador, quanto mais subíamos, mais se tinha para subir e até que enfim, após 9 estações, chegamos ao primeiro cume, porem ainda não era o fim, tinha mais três, e então seguimos orando, cantando e refletindo sobre a saúde, suas verbas, o atendimento dispensado a população e os direitos que o cidadão tem e muitas vezes não lhe é garantido. Achei que algumas pessoas não iriam agüentar chegar lá, mas a fé que remove montanhas fez com que mesmo as pessoas com idade considerável chegassem até o topo. Ao chegarmos, houve a celebração da ressurreição de Jesus Cristo, o momento mais importante da Via Sacra, e então foi feita uma grande roda, onde os fieis lembraram-se de pessoas que no momento passam por problemas de saúde e oramos por elas. O padre lembrou que é o segundo ano que acontece a Via Sacra no morro, e que iniciou com um pedido que dona Maria mãe de João Batista fez para que o rio Ribeira não sofresse construção de barragens em seu leito. Em todo o percurso, imperou a solidariedade em relação à partilha de água e até alimentos.
Subir foi difícil, porem, o desafio maior era a descida, pois já estávamos muito cansados e muita gente tinha problemas nos joelhos. Os jovens e as crianças das imediações desciam o morro na maior velocidade esbanjando uma habilidade incrível onde seus pés quase nem tocavam no chão e já mudavam como um grande balé ladeira a baixo experimentei a técnica e orientei Aléxia e Jonas para que fizessem o mesmo e deu muito certo, pois aquilo que era um sacrifício tornou-se uma divertida brincadeira de deslizamentos e derrapagens, como surfistas sem pranchas ou skatistas sem skate .
Após descermos, ao chegarmos à casa de Deolinda, o Padre celebrou uma Missa e em seguida aquele almoço caseiro foi servido a todos os presentes.
No ano que vem tem mais. Eu aconselho que participem.

Por: Paulo Sérgio Furquim ( Fotos e Textos ) - Nilton F da Silva ( Edição ) - 01/04/2012

OBS: Clique na foto pra visualizar em tamanho maior...

















Por: Paulo Sérgio Furquim ( Fotos e Textos ) - Nilton F da Silva ( Edição ) - 01/04/2012




Comentários

  1. Belíssima iniciativa da igreja católica, bem como dos munícipes, deixando a história sempre viva. Parabéns!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Atenção !!! Comentários anônimos não serão publicados..Obrigado !!