COMUNIDADE BOMBAS EM IPORANGA É RECONHECIDA COMO REMANESCENTE DE QUILOMBOS

comunidade será  beneficiada com os serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) da Fundação Itesp.
    No mês em que é comemorado o Dia Nacional da Consciência Negra, o Governo de São Paulo, por meio da Fundação Instituto de Terras do Estado de S. Paulo “José Gomes da Silva” (Itesp), reconhecerá mais 4 comunidades remanescentes de quilombo - as comunidades de Engenho e Abobral Margem Esquerda, ambas em Eldorado, Aldeia, em Iguape, e Bombas, em Iporanga. No total oitenta e seis famílias vivem nessas comunidades. O reconhecimento se dará neste domingo (16/11), durante a edição deste ano da Feira Paulista de Assentamentos e Quilombos (Fepap), que acontece no Parque da Água Branca, em S. Paulo. A Feira que começa no sábado (15/11), foi incluída este ano no Calendário Turístico do Estado, por meio da Lei nº 15.511/2014.
          Atualmente, o Estado de São Paulo tem 28 comunidades remanescentes de quilombos reconhecidas, 21 estão localizadas no Vale do Ribeira, sendo que dessas, seis foram tituladas em terras públicas estaduais. Nesses quilombos vivem 1.309 famílias.  As últimas comunidades reconhecidas foram Sertão de Itamambuca, na cidade de Ubatuba, em 2010, e Peropava, no município de Registro, em 2011. Nesses quilombos moram 56 famílias. O reconhecimento do Governo de São Paulo, as comunidades quilombolas serão beneficiadas com os serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) da Fundação Itesp, vinculada à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania.
      As atividades são desenvolvidas por agrônomos, veterinários, biólogos, técnicos agrícolas, economistas, assistentes sociais, entre outros profissionais. As comunidades contam ainda com obras de infraestrutura e recebem insumos e materiais para fomentar a produção.
      Por meio do Programa Paulista da Agricultura de Interesse Social (PPAIS), os quilombolas podem comercializar alimentos para presídios, hospitais e escolas estaduais. O teto por produtor é de R$ 22 mil por ano.
     “O Governo de São Paulo tem se empenhado para reconhecer mais comunidades quilombolas no Estado. Um trabalho que representa o resgate da cultura tradicional”, explicou o diretor executivo da Fundação Itesp, Marco Pilla. 

Reproduzido nesse Blog: 16/11/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção !!! Comentários anônimos não serão publicados..Obrigado !!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...